sábado, 22 de novembro de 2008

When In Doubt Stay Out

Expressão pra lá de conhecida e das menos seguidas. Da minha pequena experiência de 10 anos nos mercados posso garantir que nunca vi um price action tão hostil ao trader de curto prazo (dias, semanas). Imagino que uma leva de neófitos, muitos novos praticantes de technical analysis, na Bovespa deve estar com seus saldos na corretora trucidados. Perderam em meses o que levaram anos para conseguir. Os neofundamentalistas se agarram a múltiplos recentes (de 5 a 10 anos para cá) para chegarem à conclusão de que vários papéis estão "de graça". Mas alguns já devem estar coçando a cabeça...

Vendo as postagens abaixo, concluo que os amigos percebem a mesma coisa. Em particular, a última hora da trading session em WS (15:00-16:00) sempre concentrou a atividade do smart money (institutions). Mas o que se vê nos últimos meses é insano. As major averages - Naz, SP500 e DJIA - andam nos 15 minutos finais até 2 vezes o range do dia registrado até então (máxima menos mínima). Cassino total. Um trader de uma pequena firma lembrou, em uma entrevista, jocosamente que em Las Vegas pelo menos você consegue alguns drinks de graça (rs). O price action do Ibroxespa tem sido similar, com a diferença de que a maior parte dele está com viés na variação das commodities. Por outro lado, na seara macroeconômica, estamos vivendo tempos dos mais interessantes envolvendo embates entre idéias de keynesianos, monetaristas et alli. O mundo acadêmico está mais rico que o real.

19 comentários:

Anônimo disse...

Na sexta-feira no final do dia o PE atingiu a mínima de 8.4 pelas minhas contas. Com juros de 1% os investidores de longo prazo entram com força comprando.

O grande risco dos traders de curto prazo são estes momentos em que os institucionais entram comprando. Eles não estão nem aí com as resistências e os suportes de curto prazo.

Além dos institucionais de longo prazo temos o pessoal procurando alfa e aqueles que estão arbitrando os mercados que também não tá nem aí para análise técnica.

Enfim depender só de análise técnica é muito arriscado quando a volatilidade é muito alta.

Fact Finder disse...

Você calcula P/E on a real time basis?! Wow! :D

aguia disse...

Cassino???

of course,
k- çild's!!!
rsrsrsrsrs.

()ão, Alex.

Richard disse...

KB,

combinado.

meu email:
rytenband@uol.com.br

Abs e ótimo fds.

Richard

Anônimo disse...

Fact Finder,

Calculo diariamente no fechamento e estimo o intraday baseado no fechamento do dia anterior.

Eu tinha um modelo em tempo real para estimar o PE mas com o recente "deslocation" o modelo foi para o espaço.

aguia disse...

meu caro e 'distraido' (rsrs) Richard:

?
olá:
in Fact,
você deixou
êste seu recado,
ao nosso Mestre KB,
no post do Mestre Fact.
rsrs um Bom Domingo a todos.
esta mensagem tá parecendo chart.

PAULO CÉSAR PEREIRA disse...

Fact Finder,

Se alguns perdem, outros devem estar ganhando...

Quem está ganhando com esta alta volatilidade?

Carlos Magno disse...

Desculpem mas é um copy paste:
Dívida de brasileiro já é de 10 salários
Agência Estado

Em quatro anos, o endividamento do brasileiro cresceu quase 70% na relação com o número de salários recebidos. Entre cheque especial, cartão de crédito, financiamento de veículos, crédito pessoal e empréstimos imobiliários com recursos livres, o consumidor devia dez meses de salário em setembro. Em 2004, a dívida correspondia a 5,9 meses de salário.

Os cálculos são do consultor para o sistema financeiro e economista pela Universidade de Brasília Humberto Veiga. Para chegar a esses números, ele considerou a evolução da massa de salários com base nos dados da Pesquisa Mensal de Emprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em seis regiões metropolitanas e o montante de crédito concedido ao consumidor.

Segundo o economista, esse descompasso entre o crescimento da dívida e da renda dos trabalhadores faz crescer o risco de inadimplência, especialmente agora que o cenário de desaceleração da economia começa a ganhar contornos mais nítidos e poderá ter impactos no nível de emprego.

Carlos Magno disse...

Fact,
existe alguma coisa entre o Keynes e o neo-liberal.
O Keynes as vezes é desculpa para que o estado seja gigante e intervenha na crise.
Mas o Keynes é muito mais rico que isso.
Aliás o Keynes não era nenhum socialista. Ele só enxergou, que dependendo o contexto, o estado precisava ser mais Estado do que é.
Ele nunca foi adepto do sovietismo.
E nem deu senha nenhuma para um estado permissivo em gastos.
Keynes era um lord capitalista.
Eu gosto muito do ideário da esquerda. O problema é que as contas não fecham.

Richard disse...

Verdade Aguia!

Final de semana tem dessas......rs rs

R2K disse...

: )

Samuel Ramos disse...

'Eu gosto muito do ideário da esquerda. O problema é que as contas não fecham.'

Bela conclusão.

Porém, as contas fecham sim, ao menos para os envolvidos.

Para os outros, não, mas aí é preciso entender que para quem paga, a conta não foi feita para fazer sentido.

KB disse...

Eu era até o início da queda do Ibovespa um trader de curto prazo no mercado de índice futuro do Ibovespa (além do operar no mercado a vista no médio prazo) e posso garantir que, com meus trocentos anos de futuro:

(a) 99% dos traders de curtíssimo prazo, quer de índice ou de ações, são perdedores no longo prazo;
(b) comem formiga em 20 trades e cagam um elefante no 21°;
(c)esses perdedores se afundaram ainda mais nos últimos meses.

Justamente pelo que o Fact comentou, ou seja, pelo volatilidade gigantesca no intradia, eu deixei de operar o índice nos últimos meses.

Melhor, tenho tirado umas longas férias.

aguia disse...

KB:

pôrrrrruma puta coincidência, KBei de assistir, pelo trocenta vez idem, o filme Cassino, onde o De Niro, em determinado momento, diz exatamente o que vc acabou de dizer... sôbre o eterno resultado dos inveterados do Curtíssimo... no Looongo.

só faltou, no seu coment, a 'loira'... ou não?... rsrsrsrsrs...

( )ão.

aguia disse...

minha colher de pau, não resistiu à tentação, tal o alto nivel do cerne transcendental do papo:

penso o mesmo e se a gente for relembrar quantos ideólogos - apenas a nivel filosófico e ou existencialista alguns; mais pragmáticos outros, entrando nas questões terrenas da organização política e da economia - por mal interpretados, ou não (tipo o Marx, mais próximo do assunto aqui em pauta), sonharam com uma sociedade utópica, etc...

só faltou um dêstes caras dizer:

sempre que um membro, de qualquer tipo de organização social humana, almejar ganhos pessoais, para se "dedicar" à comunidade, matem o cara.

pois fôra assim, por certo é:
não surgiria o primeiro pajé!

interessante portanto a gente constatar que mataram apenas o único lider que professou justo isso, o inimitavel socialista Jesus; simplicidade teo-filosófica em pessoa; filho de Maria e José o carpinteiro.

já on the other black hand e mal comparando - eis que uns outros ganharam páginas na História Universal, de Nero à dupla Hitler e Stalin - temos pôrrrraqui, entre muiiitos, os nossos colloridos jaders; quércias... quá: e uma porrada de etcs... carinhas do podre rodapé da pestilenta historiografia anedotária de Pindô.

tais quais caras outros mais poderosos tão pequenos que grassam pelo mundo todo que - se a tal lei que mandasse matá-los, existisse, e se por fuzilamento - poder-se-ia enfileirá-los nos meio-fios das sarjetas.

daí que se há magnitude nos grandes Pensadores, tipo o citado Lord Keynes no nicho sócio-econômico de seu tempo, falta é gente que presta, com poder, para fazer bem feito o que deve - todo mundo, lá no fundo, sabendo exatamente o que é - BUT (by Bob)... acabam não fazendo (tipo o exemplo mais recente e cabeludo idem de Sir Alan Pilatos) e depois da gritaria, pós excessos do outro vinde a mim, o véu de sempre encobre tudo no tempo.

quá... tudo isso também deve ser cíclico, pois creio que já houve alguma civilização anterior tipo uma Atlântida e agora estamos vivendo mais uma outra, sequencial, moribunda, por gritantemente auto-destrutiva.

por isso e por achar essencial o extremamente insubstituivel e indispensavel saber, do como cultivar o tal de sense of humor, vivo assim - indefectivelmente leve e tão otimista - sempre...

rsrs.

como o foco aqui é outro, deixo um pensamento, tipo plágio, para ninguém refletir que não vale a pena:

"A Bolsa é o ópio dos patos".

( )s.

Fact Finder disse...

1. PC, operadores de volatilidade têm tomado na cabeça nas últimas semanas. Ela tem se mantido alta e constante. As únicas operações que acho que têm tido bom prognóstico nesse mercado são travas de baixa (credit spreads), nas quais o theta é implacável.

2. Culpa-se agora o algorithm trading dos big players pela extrema volatilidade intraday.

Anônimo disse...

Travas de baixa bem OTM Fact

senão o calorzinho cozinha a bunda

dos vendedores num piscar de olhos

Abraços

MArcus Maia

Anônimo disse...

mostre-me um especulador que morreu rico que eu lhe mostrarei um especulador que morreu cedo.

Anônimo disse...

Para o Anônimo de cima:

Quem ficou rico especulou. Só que pobre acha que dá para ficar rico sem especular.

Os pobres só conhecem histórias de ricos que especularam e ficaram pobres ou morreram cedo.