sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Brasil Foods cara e subindo. (ou: respect Mr. Market)

"Respect Mr. Market. He´s been around longer than you and I".
(ou coisa assim. Tirada de um livro do Graham)

"Ao analisarmos o preço de mercado de uma ação devemos supor que o mercado tem mais chance de estar certo do que errado em sua v
aluation"
(tradução livre de Damodaran)

Vejamos o caso em tela: Brasil Foods, brfs3.

Se você der uma passada lá no http://www.guiainvest.com.br vai ver que ela está com um P/L de 63 (!!!!) e isso, ainda, com o maior lucro de todos os tempos.
  • A margem líquida é de pífios 1,8% (já foi menor, até 0,7%).
  • Além disso ela está pagando um dividendo "gigante" de... 1%.
E aí, devo dizer, eu tenho brfs3 em carteira.

E estas brfs3 vieram de sdia3. Algumas compradas há vários anos. Outras tantas compradas quando a empresa estava custando nada, no meio da crise cambial. Aliás, comecei minha temporada aqui no blog analisando sdia3.

Curioso notar que minhas sdia3 valorizaram um pouco antes de virar brfs3. E o gráfico das brfs3 abaixo mostra...


uma alta de 25% em um ano.

Quão doido estará o mercado em valorizar a um P/L de 63 uma companhia? Especialmente se lembrarmos que... bom, ela não tem tanto o que crescer. Pelo menos não é razoável esperar isso dela: já é líder de mercado em tudo o que vende no Brasil. E o exterior não está tão bom assim pra ela.

Haverá alguma razão? Vejamos.

  1. A companhia ainda está digerindo a Sadia. Está gastando mais de R$ 500MM por ano só de juro de dívida. Isso é maior que o lucro anualizado de R$ 400MM.
  2. Sim, meu querido, estamos falando de R$ 7 bilhões em dívida bruta e cara...
  3. Elimine esta dívida e o lucro já dobra.
Mas ainda assim, dobre o lucro e isto nos deixaria com um P/L de 30.
Ainda é caro.

A chave está na margem líquida, que está abaixo da usual.

  • No 2T08 a margem líquida da Sadia era 8,2%.
  • A margem líquida do ano de 2007 foi 8,0%
  • As menores margens líquidas de sdia e prga eram da ordem de 5,5%.
  • As maiores trimestrais, de 10% a 12%.
Considerando que no processo de integração a margem de 8% seja novamente atingida, vamos refazer umas continhas.

A empresa terá vendas superiores a R$ 22 bi em 2010. Quiçá, R$ 24 bi.
Com uma margem líquida de 8% isso dá um lucro de "circa" R$ 1,8 bi.

E um P/L de 13.

Então o P/L alto é temporário. Mr. Market vê um P/L de 13, conforme a integração ocorrer.

E tem mais.

Brasil Foods é a ambev do frango. Ela é protegida contra a inflação. Não sabe nem vai saber o que é inadimplência. E está se lixando para a China. Ou melhor ainda: vai vender para a China.

O Mr. Market quer ser sócio dessas empresas perenes. E topa pagar mais por isso.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

INEP4


Ela tem rolo com BNDES, de olho

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Banco Fator - relatório de dezembro de 2009

PREVISÃO 23/12/2010

IBOVESPA 15% -0,8%

enumeram uma lista de ações e previsões, citam várias entre as preferidas ficaria chato listar aqui.

Banco Safra - relatório de dezembro de 2009

1) No relatório via potencial de valorização em torno de 15% em 2010. Bov até o momento -0,15%.
2) Ações Top Picks em dez/2009:
PREVISÃO no momento
PCAR5 24,8% 8%
PDGR3 23% 16,8%
DTEX3 23% 8,5%
MYPK3 41,6% 94,4%
CSNA3 23,5% -0,5%

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Hora do garimpo?

Seria o momento do garimpo das smalls? com a palavra os fundamentalistas Lafa e Aguia.

ALLL3/MAGG3/INEP4 e outras

Que coisa!




Estava ausente pois tentava discutir meu acerto no novo governo da Dilma. Não foi possível pois a oferta dentro do PT é de 6% por cada negócio e eu queria 10%. Prefiro ficar no TIB.
Fora o papai noel quem segura o mercado?

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

ainda não, meu caro Watson...digo, meu caro LAFA

a morosa, já pràticamente histórica, acumulação na pontinha do cume do cimo dos chifres do apático e já castrado Bull, faz com que - já de um certo tempo a esta data - nada de novo se possa dizer sôbre o market que desperte interêsse, eis que o desânimo e o cansaço se espalham por tôdas as praças e também pelas praias, exceptuando-se, of course, os recantos de punhetagem a la Alan Harper de sempre.

a gritaria de psvor patense aos primeiros rugidos da Big Bear grávida que jázinho virá porrrrrrrrraí, já parida de gêmeos e esfomeada nús úrtis, acordará nós todos.

axu.

parabens a si, caro guerreiro raçudo, pela perseverança e garra aqui demonstradas (será vero aquêle velho coment de que goiano é macho e tem o saco roxo?... rsrs).

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

... e acho que ponto final.

pelo jeito, só falta alguém determinar causa mortis do T.I.B.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Compreendendo a mudança de fundamentos do mercado imobiliário brasileiro...

É muito fácil emitir opiniões do alto de uma torre de marfim. Ou melhor, é muito fácil emitir opiniões de dentro de um apartamento de 300m2, em um bairro valorizado, com ar condicionado na casa inteira, três carros na garagem.

A opinião poderia ser, por exemplo,

"O subsídio concedido pelo governo no "minha casa minha vida" só atrapalha, porque aumenta o preço dos apartamentos na mesma proporção. Além disso gera uma bolha imobiliária, é um barato que sai caro, etc. "
(dito por algum economista dentro de seu escritório)

Para averiguar isso "na pele" fui a um "FEIRÃO DE IMÓVEIS" em Goiânia, ver como andam os preços.

Minha conclusão foi bem diferente:

Está bem fácil para um casal com renda de R$ 1.500,00 adquirir a própria casa em um bairro popular. E eles vão pagar uma prestação subsidiada, compatível com o aluguel.

Vejamos.

Apartamento MRV de R$ 95.000,00;
Renda exigida: R$ 1.300,00!!!!
Entrada de R$ 17.000,00
Subsídio de R$ 17.000,00
Prestação de R$ 400,00 mensais, juro de 5% ao ano!!!!

Casa com 75m2, custando R$ 85.000,00!!!
Mesmas condições de financiamento anterior,
ou seja PRESTAÇÃO DE R$ 400,00 ou MENOS!!!!
entrega IMEDIATA!!!
Os apartamentos da MRV citados 50m2 em bairro afastado, custando uns R$ 105.000,00 se for em bairro bonzinho. Asfalto e ponto de ônibus em todos os casos, o melhorzinho ficava a 1km de um bom shopping (lugar bem urbanizado).

Veja que estes apartamentos estão acessíveis a uma renda de R$ 1.300,00 (só isso!!!) bruta. E o financiamento é a 5% ao ano, dando uma prestação de uns R$ 400,00.

E os preços, subiram? Não. Este mesmo MRV já custava R$ 80.000,00 há 4 anos. Subiu igual a inflação. E menos que o resto do mercado imobiliário, que está acostumado com altas de mais de 100% nos bairros mais valorizados.

As casas, que são a preferência da classe pobre, estavam AINDA MAIS BARATAS.

Então, como eu disse acima, é muito fácil criticar pra quem já tem casa própria e ganha dinheiro. Mas existe uma nova realidade, a de que está mais acessível para o pobre a compra de sua própria casa.

Não parece que a conta fecha... para a CEF. Este déficit vai ser coberto algum dia. Mas por ora, temos que entender e nos adaptar a esta realidade. E por que não comemorar? Até um fdp de direita conservador como eu tem que valorizar uma notícia destas.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Alavancagem operacional do Bradesco versus Itaú

Um conceito muito interessante é o de Alavancagem Operacional. Pra quem nunca leu um livro qualquer sobre adminstração financeira, recomendo rapidamente o do L. J. Gitman.

Pois bem, todo negócio tem despesas fixas. Itaú e Bradesco não fogem a esta regra. Ambos, aliás, têm números semelhantes de agências espalhadas por aí.

Mas o Itaú tem mais ativos. E vem a conclusão óbvia que o Itaú tem mais ativos por agência. Ponto para o Itaú.

Claro que isso é esperado. Itaú e Unibanco tradicionalmente tinham agências lado-a-lado. Algumas vão fechar, os clientes serão migrados etc. Mesmo assim, isso só reforça o dado: uma agência do Itaú rende mais que uma agência do Bradesco. Definitivamente, ponto para o Itaú.

No entanto isso é reflexo direto das estratégias diferentes adotadas pelos dois bancos.
O Itaú é mais cosmopolita. Prefere abrir agências em centros mais urbanizados. De preferência, poucas. Perto dos mais ricos, ou, pelo menos, da classe média.

O Bradesco quer o povão. Quer a classe C de hoje, que é de onde vem a B de amanhã. Ele abre agências em cidades onde a atividade mal é rentável. Se um bairro está desenvolvendo, o Bradesco e o BB abrem um PAB (Posto de Atendimento Bancário) antes do Itaú.

Isso quer dizer que no resultado ele já está "comprando" o crescimento. Vamos pensar assim: todos os custos da agência da cidade de Piraporinha da Serra do Sul do Monte Oculto já estão pagos pelo resultado. A partir de agora, cada cliente que abrir a conta é quase puro lucro.

Por isso, se o resultado do Bradesco parecer meio "atrasado" perto do pujante Itaú, não se assuste. Existe um resultado embutido ali dentro. Que, se der certo, poderá colocar os dois bancos em posição de empate de novo em alguns 10 anos.

domingo, 14 de novembro de 2010

O que será que eles sabem?

Olha o gráfico de wege3 versus ibov.



Fonte: www.guiainvest.com.br

sábado, 13 de novembro de 2010

um artigo do Celso Ming que vale a pena ler...áxu.

http://blogs.estadao.com.br/celso-ming/2010/11/12/para-alguma-coisa-valeu/

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

ao querido e inimitavel mestre LAFA, com carinho:

Profi Lafa: vc já considerou IBOV a 29 KG, dinooooooooooovo, uái?!

tenho imensa admiração - e até um porquinho de inveja - do quanto vc manja de AF e sou-lhe, como sei serem todos os demais aqui do TIB, extremamente grato pelas preciosas aulas analíticas fundamentais que nos dá generosamente aqui, abrilhantando mais ainda esta praia, séria; limpa e solidária... BUT... como não curto o CCCP, tipo faz o nosso intimorato alpinista e fraterno amigo BOB; é apenas com os olhos num panorâmico horizonte - mais ao longe - que pressinto - e lamento isso - o acordar do tal Urso; o qual, pelo tipo do ronco, phode bem ser uma fêmea 'parida' e aí né...ô c já viu a FOME!

o amigo já ouviu falar em MCA e MCB e em Doji MENSAL?
meu laboratório, aqui no escarpado Penhaskim, já os viu.

e dai???... quá... abro mão de minhas ot&místicas evasivas ilegiveis costumeiras, para revelar meu último diálogo com certa cigana de esquina; em que ela me dá uma verdadeira aula analítica de LPAPDV do Ibofesta... e ela tem uma prima que faz eventual ponto na Rua 14 c/ 18 do Setor Oeste aí na sua cidade, bem na mureta do Muzika:

aguia: "ölá, cigana."
ela : "ölá...pássaro."
aguia: "e o MERCADO BURSATIL TUPINIQUIM ? "

ela:
"o IBOVESPA patina, atualmente e já faz tempo, ali entre as paralelas de 60 e 70 KG, ora indo até um pouco mais, ora um pouquinho menos... MAS... é imprescindivel dar uma olhada - ANTES - na CORRETIVA que aconteceu antes desta última alavancada, iniciada em Janeiro de 2.009 e que ressucitou o agora já novamente moribundo Bull:

é... ACONTECEU que... O ATUAL BULL-MARKET, depois de atingir o histórico pico maior, em Maio de 2.008, quando atingiu o verdadeiro patamar desta alta de LLP, aos 73.920 pontos; trabalhou naquele mês até a mínima de 67.865, numa vela mensal (ou candle) de um formidavel MCA... MAS... entretanto... tal índice de mercado DESPENCOU, pelo resto do ano, em um forte movimento corretivo até final de Novembro, iniciando tal queda com 3 consecutivos MCB, nos meses de Junho; Julho e Agôsto e intensificando-a, com fúria de Bear, em Setembro, com o maior MCB daquele semi-bearmarket, tocando a mínima de 29.435 pontos ; repito: DE 29.435 Kg!!!... seguindo ladeira abaixo em Outubro e Novewmbro, até desenhar, no mês de Dezembro, a figura - também mensal - de uma estrela matutina; doji êste que mandou o Ursinho de 7 mêses hibernar e clareou o horizonte acionário brasileiro, voltando o Ibovespa a chifrar para o alto, tal qual jovem e vigoroso garrote e com pràticamente a mesma pujança do ursinho retirante (já na soneca); visitando, novamente tôpos, e, finalmente, paralelizando, nos atuais; num desenho amassa-barro típico de minhocuçú... assim que, a mim, velha cigana, não me espantaria nadinha, absolutamente; pois que nada haveria mesmo de mais... se: caso a Matriz de WS, vier, como já promete, a corrigir o INDU, em tôrno tipo assim de uns 20%, até perto dos seus sensibilíssimos 9 KG... a nossa pulga bursatil, por um abano de rabo lá de Tio Sam, caisse, hmmmmm... uns 50%; num descompasso sim, mas, com a mesma lógica da alavancagem que houve até aqui, sempre justificada, of course, pela mídia analítica de aluguel, ou - numa hiopótese menos otimista - fosse o market do penikim matar saudade láááááá dos

29 KG."

aguia: "pô, cigana!?... vou lá pru Penhaskim, v se vejo tal josta, né?"
ela: 'pôiZé...conecte êste seu laboratório à minha bola de cristal uái."

OBS: devo ao KB, pelo brilhante uso do têrmo Consenso, o que melhor exprime os tais movimentos bruscos de intensa e perseverante Fôrça; tanto quanto sou grato ao BOB, e FACT, pelo que me ensinaram sôbre AT (mesmo que eu não tenha sssimilado merdíssima nenhuma, rsrs).

( )s e tome bastante canjinha...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Águia...

Pois é,

esse mercado que começa o dia subindo e termina em baixa, ou fraco, pra mim sempre foi característica de topos. Tô sentindo isso há alguns dias.

Mas se as ações insistem em subir após as eleições, a gente não tem mais é que deixar?

Tô aqui tomando a difícil tarefa de monitorar brsr6 e hbor3 pra vender na hora certa. E minha mão é mole.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Sequencia do chart anterior


País dividido


último post político até a posse da Dima, Temer, Sarney, Severino e demais anões.

domingo, 31 de outubro de 2010

Considerando mudanças na carteira...

Estou considerando adicionar SMAL11 na minha carteira, com peso de uns 3%.

Por quê?

Porque small-caps são imprevisíveis individualmente, mas como um todo apresentam uma média de retorno satisfatoriamente maior que a do mercado. Elas também são menos correlacionadas com o mercado em geral.

Já dei uma passada de olhos pela composição do índice, e é bem interessante.

Considerando isso, penso em mandar PNVL embora.
Metade de brsr6 já foi embora a R$ 18,50.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

FACT está como que se despedindo de nós orfãos...

leiam no seu BLOG, a fábrica de preciosidades denominada MFF, a triste notícia de que - após 500 lavras - ou quinhentas pérolas (tanto faz que dá na mesma...), êste nosso incrivel cumpadi vai nos abandonar, k-cild`s!!!... tremendo Buraco Negro o vazio que isto significará neste sempre tão empobrecido mundo analítico... quá, que pena; pois, no meu caso, devo muito a êste insuperavel amigo.

motivos?... desde sempre os teve, já que carrega, além de seu esmerado e insuperavel Blog, obrigações outras; mormente as profissionais que sempre o assoberbaram, conceituado Engenheiro que é; brilhando, também, lá fora tal como entre nós, convidado ilustre em palestras e simpósios.

rezemos... a que minha Santinha Edwiges, já instada por mim preferencialmente para isto, nos conceda a graça de fazer a cabeça de tal insubstiruivel e solidário individuo, convencendo-o a que não nos abandone e continue em seu sempre sacrificante empenho, abrilhantando, mesmo que não cotidianamente, o precário e pardo espaço da Análise Técnica em Pindorama.

OREMOS, pois, pô!!!#&*^$#

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Tem hora que é fácil.

Quando a empresa é superior, a gente compra, anota o preço de compra pra referência futura, e esquece.

Assim foi com bbdc3, itsa4.
Hoje saiu mais um lucro crescente do bradesco. E estão conseguindo manter baixa a inadimplência mesmo com o aumento do crédito.

Agora é analisar mais a fundo esse trimestral. Pra não queimar a língua.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Duas sortes...

Comprei POMO3 e EMBR3 na hora certinha este ano. Logo antes da arrancada.
A compra não tinha nada de técnica, simplesmente estavam baratas.

Agora é ver até quando ficarei com elas.
Porque P/L de 11 para POMO é bem acima da média histórica.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

em Pindorama uma minhocuçú entre as paralelas...

mercado tupiniquim, requebra, no cimo da montanha, entre 60 e 70 Kg... E FAZ É TEMPO ÓH!!!... e just now, retorna, uma vez mais, de fracassada tentativa de cimentar uma barreira na linha dos 70, sendo que ontem deu até a impressão de que, 'ao tocar nesta linha', o mercado bateria na "nova barreira" de concreto e voltaria como uma bola de borracha... hmmmmmm, quá: hoje a bola virou chumbo (muita gente sentiu o pêso do dito cujo) e o tal patamar fez puft, tipo assim cimento nadinha e areia purinha... pôiZé... veremos, a Dora avante como sempre, de que material é mesmo feito o tal piso nú 60.

PS: continuo optimista...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Mega resistência em setor leading


Só falta a Dilma cair agora, hehehehehe

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Mais duas posições pequenas vendidas

Posições especulativas que foram embora...

O resto de bbas3 acaba de ir embora a uns R$ 33,3x - comprado a uns R$ 25,5x dando um lucrinho de 30% em alguns meses. A primeira metade tinha ido embora a R$ 30,00.

Braskem PNA, uma posição especulativa que eu comprei quando estava entre R$ 10,00 e R$ 12,00 a ação, também foi embora com pequeno lucro. Vendi hoje perto dos R$ 17,50 - mas levou uns 3 pra 4 anos segurando a ação (conferir os registros - estou escrevendo da memória mesmo)

Tamanho da operação e onde vai ser aplicado...

Nos dois casos, operações pequenas, ordem de grandeza de 1% do total da carteira. Faziam parte de minha carteira diversificada. A venda delas entra para engordar a renda fixa e esperar alguma oportunidade que preste. Tudo está parecendo caro.

Falando da base da carteirinha...

Enquanto isso, as big leaguers - goau3, bbdc3, vale3, itsa4, wege3, elétricas - estão lá, acumulando poeira.

Outras estão com posição pequena, mas não devem sair de lá tão cedo. Aí estão indústrias romi, marcopolo, monteiro aranha, embraer, eternit, lojas americanas (carteira da patroa) e grendene (idem)

Operações especulativas que ainda esperam para ir embora...

Ainda falta ter uma boa oportunidade de venda em eucatex, fertilizantes heringer, bmeb, rsip3, profarma.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Indicador contrário


Mutual funds ainda não encheram os tubos.

domingo, 3 de outubro de 2010

Vergonha de ser gaúcho

Tarso é eleito no primeiro turno governador do Rio Grande do Sul

Fogaça e Yeda não obtiveram votos suficientes para levar a disputa para o segundo turno.


No hino do RS diz:

Mostremos valor constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra

De modelo a toda Terra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra


Modelo a toda terra! Eleger um ministro que atentou contra liberdade de expressão, que é aliado do Zé, etc, etc.

Vergonha, me calo!


o Everest e seu paralelismo:

pergunta ao IceMan, o do BUT, amante de Llamas e Alpinismo:

de onde é mesmo que se dão as quedas mais mortais pra quem insistir em escalar o tal pico Everestiano no atual Paralelismo?

acima do paralelo 70 ou ab'áxu' do 60?

domingo, 26 de setembro de 2010

Prudência: Nota 10, Technical Analysis: Nota 1.000

As revisões tarifárias da ANEEL representaram o "beijo  da morte" para a tendência terciária.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Prudência nota 10, AT nota zero

Outro dia comemorei que CPFE3 tinha finalmente rompido os R$ 40,00, coisa que vinha tentando fazer desde 2005 (enquanto paga gordos dividendos).

Achei que nunca mais passava pra baixo, mas disse que não recomendava compra naqueles preços de jeito nenhum.

(lá em http://tradinginblog.blogspot.com/2010/08/cpfe3.html)

Pois é, aí estão os preços abaixo dos R$ 40,00 novamente. AT zero, prudência dez.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Voltando meio congelado


espero que não tenham falado mal de mim. Ação é como vulcão por um lado sobe e outro desce.
Este acima vulcão Lanin, sul da Argentina. Para subir é facil, problema é descer.

Helbor - venda de 40%

Pelos motivos abaixo expostos, acabei de vender 40% de hbor3 a R$ 17,60 a ação.

A posição foi acumulada desde o fundo da crise mundial. Custava, sei lá: R$ 3,00 o papel?

Agora avaliarei se vendo ou não um pouco mais.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Hbor - um comentário de uns dias atrás

Amigos postantes e amigos leitores, coloco aqui um comentário que fiz outro dia sobre Helbor, para esculhambação geral e generalizada, se o caso for.

Lembro que é uma empresa marginalmente na minha capacidade de análise, mais pro lado de fora do círculo de competência do que pra dentro. Comentários, correções e discordâncias serão muito apreciados.

(postado outro dia desses num fórum não muito longe daqui)

Também fui ler o balanço da Helbor. Como essa é uma área que ainda estou tentando colocar dentro do meu círculo de competência, minha análise pode ser até meio infantil.

Mas o que me impressiona é um total de R$ 1.200 em receitas, corresponendo a R$ 413 milhões em resultados (lucro bruto) a apropriar.
Em receitas, são três semestres de receita bruta.
Em lucro operacional, são quatro semestres iguais ao atual.

No entanto, as receitas já estão ficando SUPERIORES ao VGV do semestre, indicando desaceleração: neste 1S2010 temos 426 MM em VGV Helbor, a comparar com 460 MM em receita operacional líquida.

Isso indica a "estabilização" do nível de vendas como me parece?

Do ponto de vista do Land Bank, ela tem 2.300 milhões de VGV futuro em land bank. Se colocarmos uma margem líquida de 17% nisso temos 400MM de lucro líquido futuro.

Nunca consegui avaliar adequadamente uma construtora antes. Acho que dentar um modelo de dividendos descontados aqui seria bem difícil.

Então tentei somar três valores:
1. Patrimônio líquido atual. É uma boa estimativa de valor porque é o ativo é quase todo circulante (mais de 70%) e uma análise de seus componentes também me levou a tal conclusão.
2. Valor presente dos resultados a apropriar, considerando 2 anos em média para receber e adotando i = 12% a.a.
3. Valor presente dos lucros líquidos do land bank, considerando que aconteçam em um prazo médio de 4 anos e adotando, novamente, 12% a.a.

Assim obtive:
1. 620 MM
2. 430/(1,12)^2 = 342 MM
3. 400/(1,12)^4 = 254 MM

Meu VPL total, de acordo com esta estimativa, é
VPL = 1216 MM

Que corresponde a um PJ de R$ 18,6 por ação.

Minha estimativa pode ser conservadora porque obviamente considera que a companhia vai desenvolver seu land bank e depois fechar as portas. Isso puxa pra baixo. br />No entanto ela considera implicitamente preços atuais, que puxam pra cima. O preço do metro quadrado lançado aqui em Goiânia está quase nos R$ 4.000,00; se fosse de R$ 2.500,00 os lucros seriam bem mais magros.

Bão - esses foram meus 5 centavos.

sábado, 4 de setembro de 2010

carunchô GERAL, c/news joinhas BUT, LPAPDV feio:


PÔ!rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr Q será q só se vê o ÔCO quando já tarde?
mesmo Q o do Piniquim Pindorâmico seja o clone do ÔCÃO do Indu???

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Melhor negócio do mundo

Comprar PETR4 pelo que vale, e vender pelo que acham que vale!

Fonte: GuiaInvest

Isso já foi piada de argentino... mas o PT quer mudar a história.

quá... vai-vem a um ano inteiro, amassando barro.

IBOV, LP, 05 YEARS:

exatamente em Setembro de 2.005 nossa alegre bolseta furou de vez a barreira dos 30 KG, donde, requebrando, subiu, tipo indômito colosso, até a marca da pica, digo, do pico de sua Máxima de 73.794 (19/05/2008); esnobando o 'resto do mundo' e a locomotiva do Big Dog de WS idem... BUT (by the Iceman BobDoc), 'patina' entretanto, desde Setembro do ano passado, entre os 60 e 70 KG na geral, não fazendo em 12 meses nada tão significativo que possa dar, ao mais refinado e performático analista, pista alguma do que vem pôrrrrrraí; senão que (hmmm... quase cabe outro But do Bob aqui...) possa já ter desenhado uma linda Double Head para fechar o esbôço de um puta H&S, pedra possivel e aqui já cantada e decantada neste vai-vem dentro do paralelismo de tal corredor; pois ao aniversariar um aninho, pode estar agora... ou desenhando tal H&S com uma rara e fantamasgórica Triple Head, para só depois virar as costas pra nós, a plebe bursatil ignara, sacudindo um novo Ombro que até agora é inexistente; ou, já ir login login, just now, despencando e fechando rapidinho um curvilíneo Right Shoulder, selando assim, de pronto, o Retôrno de Jedi de volta aos anus 30 (já então sem mais a "saida à Direita" tipo recomenda Zé Comeia a Catatau); ou, finalmente e tão simplesmente, desmanchar o tenebroso esbôço desta Figura sacana, öps, Sakatiana, abortando definitivamente tal fatal projeção de OCO.

e daí?... perguntaria agora, um de nossos 2 ou 3 ainda leais leitores.

daí que traduzindo e já clonando os maiores experts internacionais ou tupiniquins, esta merda pode subir ou phode cair (e complementaria um de meus Mestres Pindorâmicos: "or, in Fact, ficar como está"), rs.

buuuuuuuut, ki tá desenhando O CÃO, digo, o OCÃO; ah... áxu ki tá.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Time To Cover My Shorts In Equities (For Now)

(retirado da homepage do Seeking Alpha hoje)

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Será que vou vender?

Uns cinco ou seis papéis da minha carteira estão com preço de venda bem definido.
Primeiro fechamento acima eu vendo.

brsr6, hbor3, bdll4, ccpr3, brkm3, brkm5.

Tava quase chegando lá e começou a cair. Bom, um dia fecha acima. PJ é PJ.

Será que vamos comprar em R$ 20,00?


quinta-feira, 19 de agosto de 2010

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

CPFE3

Se é verdade que resistências rompidas viram suportes...
então CPFE3 nunca mais volta abaixo dos 40,00!!

Porque ficou uns 3 anos oscilando entre 30,00 e 40,00, sempre respeitando o limite fortíssimo nos R$ 40,00.

É um dos papéis que eu mais citei, pelo menos quando estava uns 33,00 reais.
E a paciência dos fundamentalistas, mais uma vez, vai sendo recompensada...

Se vale a pena comprar agora... difícil. Meu PJ pra ela costumava ser de uns R$ 50,00, difícil eu recomendar compra a R$ 43,00 com este critério.

Aliás, a única compra que recomendo é de sorvete de pistache. Vai bem até no frio.

Um pouco de política


Interessante a leitura sobre a morte de Yves Hublet, coincidência só pode, capaz...

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Brazil's foreign-aid programme - The Economist



In search of soft power, Brazil is turning itself into one of the world's biggest aid donors. But is it going too far, too fast?

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

às consideracóes dos players de commodities:

by Medvedev:

http://not.economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201008121012_RTR_1281607921nN12267886

( )ÃO.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Relembrando contagem postada em várias ocasiões


Será que estrangeiros viraram sinal de topo


Vai saber, março entraram queda forte do Bov depois.
Julhor entraram e pelo jeito.... sei lá.
Rumo ao Bi da Libertadores, dá-lhe Inter, hehehehhe

domingo, 8 de agosto de 2010

o buraco do lullinha...

R$ 90 Bi

e daí? perguntaria 1 mollusco.

naaaaaada, eu diria; nadinha.

sábado, 31 de julho de 2010

Lojas Americanas e um jeito mais popular de vender CD e DVD

Parece que a busca por eficiência deu mais um resultado positivo para LAME.

Percebendo que estava impossível achar um doid... - ops, consumidor - que pagasse R$ 40,00 em um simples CD, eles simplesmente estão baixando os preços.

Os BONS CDS estão sendo vendidos NA PENEIRA, no estilo qualquer um por R$ 9,99.
Antigamente a esse preço só se encontrava lixo. Agora, fiz o teste detalhado. Encontrei muitos títulos recentes e bandas de destaque como U2, Radiohead, Legião, Rolling Stones, etc.

A política também se estendeu para os DVDs. Estão bem mais baratos. Filme com menos de 1 ano de idade sendo vendido a R$ 14,90. Exemplo: 2012.

Idem está acontecendo na Blockbuster Americanas. Pelo jeito, a ordem é aumentar o giro. Os preços de DVD´s usados e novos estão bem convidativos.

Analogamente nas locações. Muitas promoções para estimular o giro. De fato, uma vez que o DVD já está posto à locação, não existe custo associado a fazer uma locação.
(Mesmo assim, eu suponho que a locação de DVD´s ainda seja o pepino nas mãos da gerência).

Pode parecer uma notícia besta, mas até que enfim uma loja percebeu que o cliente quer música barata. Aos preços atuais, ela é capaz de competir com a pirataria em condição de superioridade.
Pode ser, assim, uma boa fonte de lucros.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Metade da posição de bbas3 vendida

Comprada a uns R$ 25,xx.
Vendida a R$ 30,xx;

Ainda assim, continua com P/L baixo. Se não for usada pelo governo como instrumento de política fiscal expansionista (alla Petrobondades) então eu vendi barato pra caramba. Neste caso poderia valer R$ 40,00, porque tá com P/L 8, muito abaixo, por exemplo, de P/L 11 de Bradesco. Ou 13 de Itaú.

A outra metade vai esperar o balanço;

Digam lá amigos, burrice minha vender agora que rompeu o R$ 30,00?

A A.G. e o iminente Eight To ten New Price H, to L

or...the Double Shoulder in one more historical new H&S (tanto faz):

como já notaram, não sou um aficcionado e muito menos aráuto de nenhum Sistema de Análise de Mercado (à excessão da AF, course), mesmo porque falta-me qualificação para tanto, restando-me apenas observar suas oscilações, colocando-me o mais equidistante possivel dos balões de ensaios dos "Anal istas" da mídia que fazem a média e a feira com us homi e atendo-me sòmente a raros e verdadeiramente sérios, Laboratoristas Analíticos, tais como os nossos cumpadis que por tantas pérolas deixadas em praias outras, reuniram-se afinal cá nesta praia limpa e solidária, onde fui acolhido na pura generosidade.

BUT,

e quá... não consigo resistir, ao distantemente observar - daqui de meu longínquo e caótico Penhaskim - que nossa alegre e super hiper-ALVANCADA bolseta, acaba de desenhar, eufòricamente descolada do resto do muuundo again, certa sinistra figura de AG denominada por Sakata (o copiador da Análise Gráfica) de EIGTH TO TEN NEW PRICE (atualmente HIGH)...e pode muito bem valer a pena, observar, se, uma vez mais, a fôrça histórica de tal esbôço gráfico vem avisar que isto sinaliza o mercado remetendo a um despencante mergulho LOW.

entretanto, pelo óbvio e já com os pés no chao (os 4) diante de uma ralidade macro, vai alicerçado tal exercício de raciocínio numa visão menos empírica; não apenas portanto de 'desenhos de nuvens' assim, no ceus atuais cheios delas, tão nebulosas - mas, no comportamento efetivo dos demais mercados mundiais a começar pela Europa, ponto de partida do dominó que nos trará ao final a tal da Tsú (han?... êpa, pô!... havia me prometido não falar mais delazinha, k-cild`s... rsrs).

somemos a isso, o fato, de estar, atualmente, todo o market bursatil internacional, retratado com absoluta e cristalina clareza, no INDU (o Big Dog de WS e verdadeira locomotiva do Resto), num loooooongo e sinuoso vai-vem sucuriniano de acumulação de tôpo - que já dura e perdura...e já faz tempo, óh!... a qual só não vê quem não quer, ou, k pra nóis, quem ainda acredita em lullas éticas e Papai Noel; né uái?

axu

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Confirmações nos fundamentos...

Bradesco solta mais um lucro... esperado. Vou ler melhor.
WEG solta mais um lucro... ah, que novidade.
Telesp solta mais um bom lucro... mais dividendos por aí.

Embraer fecha muitos pedidos...

é, minha carteirinha está indo bem.

terça-feira, 27 de julho de 2010

A falta de postagens também é um indicador:

pelo jeito, estamos todos com as barbas de molho.

Atualmente um pedaço da minha carteira já tem preço de venda bem definido. Mas precisaria subir uns 30% para chegar no meu preço de venda.

Outro tanto é quase invendável.
Bradesco, Itaú, Gerdau, WEG, Vale por sua excelência.
As elétricas e a Telesp, por sua simplicidade operacional e mania de pagar dividendos.

compasso de espera.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

tão inocentes os golfinhos cercando um cardume...

SALVE, salve, óh TUBAS do peniquinho!!!...digo, tubas tupiniquins!...

enganem-nos que nóis gostia...

parece coisa inocente e engraçada, MAS, isso de colada e descolada - até tal coisa 'pegar' - só disfarça, de propósito, tipo um maquiavélico mote, o quanto estão looooooooonge de serem gêmeas, as modestas alavancadas do INDU do nosso fraquinho terceiro mundista Tio Sam e as super hiper extrapoladérrimas BOMBADAS de IBOV (dét index in d fêrsti uórôld land of Lullla D Statesman), depois das Tôrres Gêmeas.

...distam, né?

agora calculemos o percentual do quanto nossa bolseta pré-Tsú phode despencar para equalizar a correlação, natural, daqueles dias, again; lembrando-se de que para dobrar valor o UP é de 100%; BUUUUUUUUT (by 6 sabem quem), pra cair pela metade, basta cair...50% (... pelo menos, foi o que me disse, certa vez, o grande player Malba, Tahan).

( )s & rs, arghia.

domingo, 18 de julho de 2010

Os grandes que se entendam






Charts autoexplicativos. Poucos relatórios, penso eu, comentaram sobre o cruzamento das médias 50 x 200 então deve ter algum valor.

assim se vai rolando... e assim a fila anda:




quarta-feira, 14 de julho de 2010

LTB segurou


modo simplista de ver mas está lá. relatorios pessimistas então pode ser realmente rompida e
topo ser formado de outro modo.
Questão é que está fazendo topos mais baixos e reversão, só rompendo lá de cima .

segunda-feira, 12 de julho de 2010

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Sem BOV, US não sabe para onde andar


hehehehe, bom se fosse verdade. Tem LTB, MM200 mais acima mas 1071 é ponto chave.
Chamou atenção força do setor fincanceiro na recuperação

quinta-feira, 8 de julho de 2010

coment otimista do nosso amigo, Mestre Engineer:

http://www.zerohedge.com/article/cds-wolfpack-now-coming-after-france-china
Tá chegando a nossa hora!

(by Engineer)

torcendo,como sempre, pelo TIMAÇO BARCELONA

... e ontem, tanto como sempre, não poderia ter dado um resultado diferente, como bem noticia a atual Manchete do Penhaskim`News:

"O BARSA, como já era tão esperado, GARANTE À ESPANHA A CLASSIFICAÇÀO PARA A FINALÍSSIMA DESTA COPA DE 2.010!"

...como diria o maior panaca da crônica social: "...sorry, periferia".

terça-feira, 6 de julho de 2010

"Acreditar em papel moeda nessa hora..."

Como disse "The Engineer" em um comentário, não é hora de acreditar em papel moeda.

Então como estratégia, cito para os leitores o que é que oferece um bom grau de defesa contra variações adversas no valor da moeda (principalmente inflação).

Ativos imobiliários

Costumam oferecer, de cara, proteção contratual contra a inflação: o reajuste no aluguel. Com a inflação também sobe o custo dos novos e do material de construção, ou seja, o custo de reposição - elevando o valor do estoque imobiliário já existente.

Também apresentam ambiente de investimentos bem diverso da maioria dos ativos puramente financeiros.

Um ponto pouco notado é que imóveis sentem rapidamente grandes alterações nos agregados monetários. Suponha, em caráter totalmente hipotético, que o governo injete crédito no mercado, assumindo dívida no Tesouro e usando isso para capitalizar bancos públicos e emprestar. Totalmente hipotético, é claro. Neste caso, os preços de imóveis em São Paulo vão subir de preço muito antes do quilo do feijão carioquinha.

Então, um jeito de "fugir da moeda" é ter FII´s e outras empresas afins: CCPR, SCAR.

Marcas fortes

Este ovo de Colombo foi descoberto pelos fundamentalistas há poucas décadas. Empresas com marcas fortíssimas sofrem menos com a inflação.

Considere as Lojas Americanas. Se os preços da economia subirem 20%, ela não terá dificuldade em subir os próprios preços em 20%. Isso ocorre porque seus fundamentos estão, no final das contas, profundamente calcados no hábito das pessoas passarem por lá.

Analogamente para o Bradesco. Existe uma parcela "x" da economia que gira por lá. A receita do banco é proporcional ao valor monetário de "x".

"Disclaimer: o autor tem participação direta ou indireta em todas as empresas citadas, exceto SCAR! E já faz um tempo danado. Além disso, só Deus sabe se vale a pena você comprar ou vender alguma coisa agora. O autor está sem coragem para comprar um centavo em bolsa estes dias. "

ones, ones, ones, cada um com seus...

cojones.

Um AT é um cara que tem cojones para botar 50% da sua grana em uma posição, ser estopado 2% abaixo, e ainda sair com a mulher pra comprar sapatos e ver um filme depois dessa.

Isso é absolutamente impensável para mim.

Um AF é o cara que tem cojones pra ficar comprado, mesmo agora, só porque o asset está razoavelmente bom, as empresas tem bons fundamentos e está cheio de FII´s na carteira. Ao fazer isso ele se expõe a ver as ações derreterem 30% em alguns meses, e a carteira uns 15% - e dormir que nem uma criança enquanto isso.

Outro dia o Fact comentou que fez uns trades tão bons, que ganhou umas viagens pras oropas. O povo lê isso e pensa, "ay caray, o negócio é ser AT". Mas quem é que suporta ter de sair de cinco posições, tomando cinco prejus seguidos? É bem possível isso acontecer com qualquer trader.
[aguardo complemento, sr. Fact].

Obviamente o AF descrito acima sou eu. E assim, durmo bem sabendo que uma carteira com FII´s, ações ligadas a bancos + consumo + commodities + small caps diversas + NTN-B + LFT está razoavelmente protegida contra qualquer coisa - exceto a queda na bolsa acima descrita.

marcando a Tsú... cantando as pedras do DOMINÓ:

... Grecia
...........Hungria
...................Ucrania
...........................Espanha
...................................Portugal
...........................................Irlanda
..................................................França
........................................................Japão
............................................................. ÊPA !!! ???

domingo, 4 de julho de 2010

...e o nosso amigo ANDRÉ aponta mais uma pedra:

http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRSPE66202P20100703

(by Sir André in coment)

...e já enviou outra pedrada, esta do P-K:

http://blogs.estadao.com.br/paul-krugman/2010/07/02/mitos-da-austeridade/

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Recipe For A Major Selloff In Equities

 Mutatis mutandis com o sentimento reinante no auge da bolha da Internet, demonstre preferencialmente desprezo pelo price action a partir dos seguintes comportamentos:
  • Veiculem newsletters de viés técnico nas quais os editores procurem comparações estúpidas com o price action passado (principalmente o de julho de 2009);
  • Dêem asas às opiniões da maioria dos investidores de que ainda não é hora de ficar short porque preços estão sobrevendidos; 
  • Transmitam pela Bloomberg entrevista do chief strategist do Citi colocando 15% de upside a partir dos níveis atuais até o final do ano;
  • Tenha a imensa massa de incautos amansada pelo noticiário soporífero; 

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Batendo nas mesmas teclas...

O que será que o mercado está vendo de errado em bbdc3, que não consegue encontrar valor na ação?

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Será?


quarta-feira, 23 de junho de 2010

Como diz o Fact...

Sardinha adora um OCO, rsrsrsrs


As médias estão quase se cruzando e o gráfico começa a insinuar o desenho de outro ombro... e ainda tem a velha "cunha"... espetou para fora, entrando em uma congestão nestes níveis. Perdendo a linha inclinada (para baixo) do pescoço, pode projetar quase 2.000 pontos em um eventual movimento corretivo.

Ou nada! E tudo volta a subir "para sempre"... ;-)

Abs ^v^

terça-feira, 22 de junho de 2010

Fibo Facts


segunda-feira, 21 de junho de 2010

Recomendação de Investimento


Não sou de indicar posicionamentos no mercado, mas em se tratando de estudo, considero que é sempre o melhor investimento. Minha contribuição para o sucesso do curso vai além de recomendá-lo. KB, conte comigo na divulgação, e em tudo que estiver a meu alcance.

Da mesma forma, ficamos esperando também pelo lançamento do programa de AT do Fact Finder. Esse time de fundadores do TiB é imbatível. Não bastassem as aulas gratuitas que eles nos oferecem através dos blogs e sites, agora, com um treinamento presencial, todos que acompanham suas postagens poderão se tornar traders mais bem preparados para enfrentar o mercado. Vale o investimento e todo esforço para estar presente.

Abs ^v^

$CRB - Daily Candlesticks

$CRB - Daily Candlesticks: "

Esta news sobre a China tinha que ter animado um pouco mais. Vendemos o que para a China? CRB? ver cruzamento de médias.

"

sábado, 19 de junho de 2010

PLAYING BIG, VERY BIG

George Soros gosta de afirmar que quando se tem convicção tem-se que pular na jugular do oponente. Falar é fácil, duro é na hora de executar essa estratégia. Para operar grande, envolver todo o seu patrimônio financeiro e mudar de patamar, é mandatório identificar as situações de risco quase nulo. Somente se consegue implementar essa estratégia se você se guiar pelas forças que movem o mercado.

O emprego de indicadores técnicos, desde que bem escolhidos, prestam um inestimável trabalho no timing, mas irão sinalizar apenas se a pista está limpa sem, contudo, assegurar por quanto tempo uma posição poderá ser mantida com risco baixo de se deparar com um caminhão desgovernado em uma curva. Quem se guia somente pelos indicadores técnicos tende a abandonar prematuramente uma posição vitoriosa e passar a vida beliscando aqui e acolá, correndo o risco, desculpe a expressão chula, de comer formiga e cagar elefante.

O propósito desse meu comentário é mostrar como o método, que eu apresentei logo abaixo, funciona em tempo real. Mas lhes garanto, puxar o gatilho na hora certa tem que ter cojones.

PULANDO NA JUGULAR DO OPONENTE

É óbvio que em hindsight fica fácil afirmar que deveríamos ter comprado em um determinado instante por isso e aquilo e entregue a posição no momento tal, por tais e tais motivos. O problema é quando se decide sem ver o lado direito do gráfico. Só tem um jeito, achar uma boa bússola. Vou mostrar uma delas.

Para operar big, very big, são necessários muito mais do que indicadores técnicos, tem-se que descobrir os indicadores macroeconômicos que antecipem o mercado, porém com um timing que não seja muito dilatado, senão se aproveitará apenas a entrada, deixando o banquete para o seu oponente, e nem tão tarde quando já não há nada mais o que fazer. Conta-se nos dedos os indicadores com tais propriedades. Quando esses indicadores derem o sinal, saia da posição sem muitas perguntas, pois a resposta virá mais adiante, porém ai poderá ser tarde demais.

Um pouco de “causo” ilustrará bem como um famoso player operava, insider diga-se de passagem. Me refiro ao banqueiro Rothschild no século XIX. Conta a história que Rothschild, usava um pombo-correio por não confiar nos informes oficiais. Durante a batalha de Waterloo, em 1815 (ou algo em torno de) ele recebeu uma mensagem através de um pombo-correio de que a Inglaterra havia vencido a batalha, que era uma boa notícia para o mercado inglês. Imediatamente ele começou a vender com muito alarde. Com a fama de ser um especulador bem informado, uma tsunami de vendas se abateu sobre o mercado, quando ele então passou a comprar pelas beiradas e fazer toda a sua big, very big posição. Porém como ele saia de sua posição? Tem uma famosa frase lapidar de sua autoria em que ele dizia que somente sobreviveu ao mercado porque ele nunca foi guloso a ponto de esperar pela sobremesa.

O FINAL DO BULL MARKET EM 2007

A partir de julho de 2007 o ar começou a se infestar de enxofre. Os tais 2 indicadores começaram a envergar e não havia guindaste para fazê-los subir. Enquanto isso, o SPX somente foi abatido em outubro de 2007. Muitos sabem da importância desses indicadores, mas não os alardeia, e mesmo que o fizessem, como alguns fazem e de modo destrambelhado, o mercado sempre fará de tudo para que o investidor comum duvide do óbvio. Constato isso há 30 anos. Progredimos no front tecnológico, porém a dissonância cognitiva apronta armadilhas até hoje, inclusive para os grandes players. Quem não se lembra da tese do decoupling dos emergentes, que estavam imunes à débâcle nos mercados desenvolvidos, defendida pela banca internacional. Claro que essa tese em parte foi alardeada por ignorância, mas também por esperteza. Afirmo isso porque eu já estive desse lado.

A figura abaixo mostra um dos indicadores a que eu me referi, na cor vermelha, e o SPX semanal na cor preta. O gráfico abrange o período entre julho de 2007 e dezembro de 2009. Na verdade o indicador mostrado é derivado de um que é até mais importante, porém o apresentado tem o mérito de identificar o glorioso momento da onda 3, como assim denominam os que abraçam a teoria das ondas de Elliott. Confesso que a acho vibrante, mas em cada 100 tentativas eu acerto uma contagem em tempo real. O que eu faço então é deixar a minha bússola apontar esse mágico instante do mercado.


Figura 1

O indicador derivado acima, na cor vermelha, tem a mania de sinalizar o momento mais forte de uma tendência, quer de alta ou de baixa. Jamais o vi deixar de divergir dos preços antes do esgotamento de uma tendência de longo prazo.

O problema da teoria de Elliott é que os seus princípios são difíceis de serem aplicados. Nem sempre os critérios são muitos claros, ou talvez seja porque eu não tenho o talento para tanto. Porém eu sei que quando a curva vermelha não mais consegue manter a sua direção de forma persistente e visível, eu sei que ainda teremos o final da onda 3, uma chacoalhada com a onda 4 e, finalmente, a onda 5, quando o mercado faz de trouxa todos os pessimistas em um bull market e de malucos todos os otimistas em um bear market.

Eu zerei toda a minha posição comprada em julho de 2007 e disse para mim mesmo que se o mercado continuasse a subir, subiria sem a minha companhia. Afinal sempre haveria uma outra oportunidade de baixo risco. Não precisa dizer que eu fui desacreditado, acho até de chacota, durante quase um ano, até o mês de maio de 2008 quando, finalmente, a tsunami nos atingiu. Mas o que eu perdi? Deixei de abocanhar a sobremesa.

Antes de finalizar, notem algo interessante em 16 de outubro de 2009, instante identificado na figura 1. O tal indicador registrou a sua melhor leitura no mês de outubro de 2009 (e até hoje não retornou a esse ponto), justamente o mês em que a maioria dos investidores, apegados às estatísticas do passado, teme pelo mercado. O que ele sinalizava? Sinalizava que qualquer solavanco era para continuar montado na sua posição comprada. Fica ai uma lição: jamais, jamais compare o mercado com épocas passadas, pois os detalhes fazem a grande diferença.

Em outra ocasião eu mostrarei como um outro indicador macroeconômico, que se presta a confirmar o comportamento do Ibovespa, já na virada de 2008/09, começou a mostrar, antes do término do bear market no SPX, de que o cheiro de enxofre estava se dissipando.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

CURSO DO KB

• ENCURTE O SEU CAMINHO PARA O APRENDIZADO SOBRE O MERCADO
• OPORTUNIDADE DE GALGAR OUTRO PATAMAR, OPERAR COM BAIXO RISCO E OBTER GANHOS CONSISTENTES
• MERCADO TEM A SUA LÓGICA, CONHEÇA A SUA ANATOMIA


Experiência do KB: 30 anos de experiência no mercado de ações como investidor e especulador em ações e índice futuro no Brasil e em Nova Iorque.

Formação acadêmica do KB: engenheiro eletrônico pelo ITA, Finanças pela FGV, Direito pela USP, mestrando em Risco de Sistemas pela Politécnica-USP. Experiência profissional: diretor da área de Mercado de Capitais em vários bancos de investimentos, diretor de Finanças Internacionais da FIESP, há 10 anos gestor de carteira própria e de terceiros.

Datas do curso e Local: 11 e 12 de setembro de 2010, na cidade de São Paulo, em local a ser informado.

Número de vagas: mínimo de 25 e máximo de 35 alunos.

Material: livro inédito escrito pelo KB que seria entregue na abertura do primeiro dia do curso, onde o método e indicadores proprietários são descritos em detalhes.

Objetivos do curso: ideal para operações de compra no médio prazo (3 a 6 meses) e longo prazo, bem como para identificar shorts (venda a descoberto) no curto prazo, com acurada noção de risco. O curso será experimental, podendo ser o primeiro e eventualmente o último, a depender da avaliação dos alunos e do próprio KB.

Indicadores usados pelo KB: todos possíveis de serem obtidos gratuitamente na internet em sítios a serem indicados pelo KB e atualizados pelo próprio aluno. Caso os alunos queiram obtê-los diariamente a partir da base de dados do KB, o assunto poderia ser discutido no curso.

Requisito básico: conhecimento primário sobre metastock (curso cobrirá os conceitos macroeconômicos básicos).

Preço: R$ 1300 por aluno. Os inscritos terão o seu dinheiro devolvido no caso do número mínimo não ser preenchido e, nesse caso, sem direito ao livro. Aceita-se propostas com preço a combinar para a realização em outros estados, sendo que o coordenador estaria isento do pagamento.

Prazo de inscrição: O prazo de inscrição começa a partir da data de veiculação nesse blog e se estenderá até o dia 16 de agosto de 2010, podendo ser inferior no caso de preenchimento do número de vagas antes dessa data.

Procedimentos: (a) envio de email para kb1@uol.com.br com dados pessoais, nome, domicílio e telefone com DDD (para o caso de problemas de conexão), indicando a intenção de realizar o curso; (b) recebimento de instruções; (c) depósito de 50% do preço juntamente com o envio do recibo de depósito pela pessoa inscrita para o email acima; (d) o pagamento da parcela restante, que confirmaria a inscrição, e o local do curso que seriam informados pelo KB através do email fornecido no primeiro contato; (e) a falta de pagamento do saldo restante na data a ser informada será interpretada como desistência e não dará direito a reembolso e tampouco como entrada para um outro eventual curso.

Alguns tópicos do curso, sem esgotá-los:

• A carta magna do método (leis que jamais poderão ser desrespeitadas);
• Formação dos preços das ações;
• Os indicadores macroeconômicos que ditam a tendência primária de longo prazo;
• Os indicadores macroeconômicos que qualificam a atividade econômica;
• Eliminando os vícios conceituais: Por que juros internacionais em alta são bons para o mercado? Quando juros internacionais em alta são ruins para o mercado? Por que liquidez em alta é ruim para o mercado? (é isso mesmo que você leu);
• Conceito de Price Action;
• Os indicadores técnicos que ditam a tendência secundária (indicadores proprietários);
• Como rastrear os grandes players vencedores (há os perdedores);
• Algoritmo para os cálculos dos Dias Notáveis: DCA, DCB e DD
• Como identificar os melhores trailing stops (stop loss) sem o emprego das técnicas da análise gráfica convencionais;
• Como reconhecer as oportunidades de “buy change” (as únicas situações em que uma notícia serve como uma oportunidade lucrativa);
• Como identificar os principais suportes e resistências sem usar régua e compasso;
• A combinação de Ouro: oportunidade em que você poderá aplicar 100% de seu patrimônio financeiro e obter rendimentos extraordinários com risco baixíssimo (recomendáveis somente aos que dominam o método);
• Quando o especulador agressivo pode estar comprado e alavancado acima de 100% de seu patrimônio financeiro (recomendável somente aos que dominam o método);
• A combinação Terrível: quando o risco de perda é intolerável;
• Como medir o momentum do mercado de maneira simples sem usar Macd, IFR, estocástico e etcetera e tal;
• Quando o short é recomendável para os especuladores agressivos e quando jamais deverá ser implementado;
• Como saber se o mercado está overbought ou oversold nas corretivas;
• Golden cross;
• Quando adotar a postura de um contrário;
• Indicadores de sentimento;
• Como interpretar o fluxo dos investidores estrangeiros;
• Como saber se o mercado está caro ou barato;
• Modelo para o índice preço-lucro (múltiplo); influência da inflação;
• Relação entre o múltiplo do Ibovespa e do SPX;
• Como estipular um intervalo provável para o Ibovespa segundo critérios de valuation;
• Postura adequada em um mercado caro;
• Quando optar entre a primeira ou a segunda linha;
• Como avaliar o risco de perda no mercado;
• Proporção ideal de ações no portfolio pelo investidor que opta pela postura compra-e-segure;
• Aplicação do método pelos alunos para o quadro atual com orientação pelo KB.

Esse anúncio será postado em outros veículos.

NÃO usem a seção dos comentários desse blog em resposta à proposta acima. Caso haja, não haverá réplica do KB. Contatos somente através do email acima.

Direitos autorais: os conteúdos do curso e do livro estão protegidos por direitos autorais. Qualquer veiculação do material distribuído terá que ter a anuência prévia do KB.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

O nosso CO-FUNDADOR, mestre KB, vem aí, óh!!!...

como todos, ou quase todos sabem, o KB e o Fact são os Geradores do TIB (o que nem eu sei até hoje é quem fecundou quem...but, quá: xápralá...); e o BOB e eu, seus convidados convocados, confirmados, para fundar e Administrar esta merda aqui, diante da promessa que receberíamos sempre 15 pilas pôrrrrrrrrrcada postada (linhases, pelo menos eu nunca recebi nenhum tostão; talvez porque o butBob, eleito Tezoureiro, puta mão de vaca, não paga nem promessa nem Kuelhin).

há algum tempo o KB se ausentou, por compromissos pessoais e mais particularmente para poder se dedicar ao seu sonhado e postergado LIVRO, onde tentaria passar experiências e conhecimentos analíticos laboratorialmente inéditos about o S. Financeiro local e Internacional.

recebi recentemente um i-1/2 dêle relatando estar ultimando tal obra e - dizendo-me de sua intenção de ministrar alguns cursos, dentro de sua ótica analista do market; pelo que penso ser-nos proveitoso, êle vir aqui nesta nossa Praia relatar, tim-tim por tim-tim, tais projetos.

aguardemos pois, de mãos dadas com nossos queridos Lafa e Seagull!

e a êle, eu digo:
VENHA, AMIGO!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

terça-feira, 8 de junho de 2010

Big Picture For The Euro

segunda-feira, 7 de junho de 2010

SOMA do nosso Comentarista e amigo, Sir ANDRÉ:

postado por êle in coment a uma bostagem, digo, postagem do Bob:

http://www.tradersnarrative.com/the-aftermath-of-secular-bear-markets-2893.html

quá...como dizia S. Pedro a Jesus, na célebre travessia em que tal Mestre andava sôbre as águas do Jordão (e foi do Jordão mesmo?... quá, xapralá) e a tchurma apostólica o seguia numa nice - a fileira a pé e sem afundar nadinha - buuuuut, EXCETO TOMÉ, O CÉTICO, QUE AFUNDAVA POUCO A POUCO E JÁ ESTAVA COM ÁGUA PELO QUEIXO!!!

e aí né - como eu dizia - dizia S.Pedro ao Chefia:

"Mestre:
ou ensinas o "caminho das pedras" pru TOMÉ, ou êle afunda, pô!!!"


... passagem bíblica que - com alguns "retoques" - espelha o quanto é diferente o "nosso" André que vem sempre ao TIB mostrar pra gente o caminho das pedras (leva 15 pila$$$$ de cada vez, óf craro)... abram o caminho em foco ali em cima e se deleitem (...pelo menos aqueles que, escorados, em gold, não estão com água pelo queixo, course...).

CANJIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIINHA, a Dora avante, geeeeeeeeeeeeeeentem!!!

domingo, 6 de junho de 2010

Semelhanças e diferenças



A queda foi parecida, o nível de pullback foi parecido mas e a seqüência será a mesma? Na decada de 40 subiu bem mas e agora.
Pela contagem de Elliott entramos em um período que entre idas e vindas nos levaria a uma queda progressiva até 2016.
No curto prazo, sei lá, pessimismo por tudo que é lado, então pode segurar um cadim mais embaixo. Para mudar esta idéia só DJIA rompendo os 11200 em algum momento adiante.

sábado, 5 de junho de 2010

Chart atualizado do dia 19/05


cruzamento que faltava, vide círculo amarelo.
Enfatizo que não creio em queda como 2008 mas pelo menos new lowdesta perna.

Seguimento do chart do dia 05 de maio

e suas conseqüências. Há pessimismo no ar,sazonalidade falaria contra uma grande queda BUT...

...PIB negativo e o pacotaço de subsídios vai sifú...





pôiZé... protelaram, protelaram... BUUUT, a "coisa" lá na Matriz (leia-se USA) já recomeça a ficar feia no momento em que o BEA, entre os outros - de iguais grandeza e confiabilidade, inquestionaveis - aponta para a desaceleração econômica, com o PIB previsto para o Terceiro Trimestre se retraindo a -2%; o que vai gerar óbvios reflexos na Taxa de Desemprêgo; e que, somada a outros Indicadores Econômicos, lá dos gringos, e ao melancólico e inquietante fim da festa dos subsídios [tábua de salvaçao esta que vai ser retirada jazinho por Mr Bernanke, do atual, maquiado de sereno, 'mar de Almirante' (clone penhaskístico de ceu de brigadeiro, rs)], deixará prosseguirem as marolagens das waves (inclusive as de Elliott, of course...) - predecessoras da grande Tsú - seguindo a ordem natural das Coisas (leia-se: sem subsídios; e, sem injeçõe$ de grana fabricada à$ pre$$as, nas pren$a$ oficiai$$; milagre 'parido' do G-20). Putz!... baita inhaca, digo inhAKA, né, uái?!

hora de Tomar só canjinha (or buy gold everyBob, digo Body; & Bye).

áxu

sexta-feira, 4 de junho de 2010

O Brasil que o paulista não conhece

No meu mundo, nenhuma notícia relevante. Há um ano estávamos perto dos 60.000. Depois fomos pros 72.000. Depois "vortemos" pros 60.000.

Uns 15% de queda - não é uma oscilação muito grande. Ano passado mesmo vendi o que tinha que vender lá pelos 65.000. Vendi o resto de petr4 no topo. De lá pra cá fiz umas comprinhas. Mas tudo pouca coisa.

Num marasmo desses, o que me resta é estudar fundamentos, coisa boa.

Uma coisa interessante é contar pros leitores o Brasil que o paulista não conhece. Com vocês, Goiânia, GO.

Cidade de mais de 1 milhão de habitantes. Capital do estado.
Mesmo assim, nota-se muita coisa pra se desenvolver no capitalismo daqui, que é coisa do dia-a-dia do paulista, e ele nem sabe que deixa de existir por aí.

Quer pista dupla na estrada? Esqueça. Está "em obras" há pelo menos 3 presidentes.

Quer sinal de telefone na estrada? Idem. Policiamento, carro de resgate? Idem.

E se você tem a mania de pagar tudo com cartão de débito/crédito, meu amigo, esqueça. Aqui o sistema é bruto. A chance de a loja simplesmente não ter maquininha é grande. Em outros muitos casos, a maquininha está sempre "quebrada". Ou mesmo, o vendedor não sabe usar.

O sistema de fornecimento de mercadorias, mesmo pra grandes empresas nacionais, é sofrível. Nos últimos 12 meses, eu já me deparei com:
  • Falta de diclofenaco em mais de 5 farmácias seguidas;
  • Falta de batata no Extra (inacreditável!!!)
  • Falta de hamburguer no Burger King (como?)
Apesar disso, é uma cidade rica, cheia de carros luxuosos e imóveis mais ainda, com um ambiente econômico sólido. Aqui sequer houve crise mundial. Marolinha foi apelido.

Então, eu acho fácil entender que existe um Brasil gigante pra evoluir em modernização, maquinização, logística, sistema bancário.

terça-feira, 1 de junho de 2010

segunda-feira, 31 de maio de 2010