terça-feira, 6 de julho de 2010

ones, ones, ones, cada um com seus...

cojones.

Um AT é um cara que tem cojones para botar 50% da sua grana em uma posição, ser estopado 2% abaixo, e ainda sair com a mulher pra comprar sapatos e ver um filme depois dessa.

Isso é absolutamente impensável para mim.

Um AF é o cara que tem cojones pra ficar comprado, mesmo agora, só porque o asset está razoavelmente bom, as empresas tem bons fundamentos e está cheio de FII´s na carteira. Ao fazer isso ele se expõe a ver as ações derreterem 30% em alguns meses, e a carteira uns 15% - e dormir que nem uma criança enquanto isso.

Outro dia o Fact comentou que fez uns trades tão bons, que ganhou umas viagens pras oropas. O povo lê isso e pensa, "ay caray, o negócio é ser AT". Mas quem é que suporta ter de sair de cinco posições, tomando cinco prejus seguidos? É bem possível isso acontecer com qualquer trader.
[aguardo complemento, sr. Fact].

Obviamente o AF descrito acima sou eu. E assim, durmo bem sabendo que uma carteira com FII´s, ações ligadas a bancos + consumo + commodities + small caps diversas + NTN-B + LFT está razoavelmente protegida contra qualquer coisa - exceto a queda na bolsa acima descrita.

11 comentários:

aguia disse...

issa!... OK, Lafa;

e vou de colher de pau

q sou fundamentalista idem:

U must sell everything and buy gold,

ái tink áxu.

Fact Finder disse...

Graaande Lafa, boa postagem.
Veja. Os meus comentários não guardam relação com asset management. Dizem respeito aos ativos (ou à parcela deles) cujos preços são livremente negociados. Só isso.

Lembro que Bill Miller da Legg Mason jogou pela janela, no crash de 2008, 15 anos de performance estelar por ignorar princípios básicos de market timing. Warren Buffett lamentou-se e pediu desculpas em sua Carta aos acionistas do Bershire ao efetuar compra de ações da Conoco Phillips com péssimo timing e perder bilhões de dólares. Monish Pabrai ofuscou parte de sua reputação aos efetuar compras desastrosas em 2008alegando que possuíam bons fundamentos.

Parafraseando J. Keynes...as pessoas preferem ter percalços caminhando de maneira ortodoxa a ter melhores perspectivas adotando uma linha heterodoxa.

A base da renda variável é fundamentalista (ou a percepção dela). Jamais poderia me opor aos fundamentos. E é improvável que eu compre algum lixo somente com base em technicals.

Lafayette disse...

águia: cê tá me deixando com medo. Vai ser extremamente phoda se suas previsões se confirmarem.

Fact: o problema é que os rudimentos de AT não são tão rudimentos assim... não para todos nós!

Ah: a dúvida enquanto eu escrevia. Tomar cinco catracadas seguidas. Ocorre?

Fact Finder disse...

Uma losing streak de 5 operações é possível. Mas vejo como um fato preocupante. Ou o método perdeu edge na estrutura do mercado ou a parte emocional está "pesando".

André disse...

Rapaiz, esse assunto é mais apimentado que Flamengo x Vasco, que Inter x Grêmio, que Atlético x Cruzeiro, que PT x PSDB.
Melhor focar no resultado seja qual for a Escola que seguimos.
E que todos se de bem !!!

The Engineer disse...

Concordo com o águia.

Ouro na cabeça (mas nem muito, nem pouco).

Acreditar no papel moeda nos moldes atuais...

Lafayette disse...

Salve André!

Comentei o assunto primeiro, em benefício próprio. Ajudou a botar minhas idéias em ordem, ter que colocar em público contra o que estou me protegendo, e que riscos corro =)

Mas também porque a sardinhada olha um método - seja qual for - e só vê o upside. Ninguém gosta de olhar a parte ruim =)

Fact Finder disse...

Ao Laffa: Uma criança de 5 anos vê quando médias móveis de 20 e 50 dias estão declinantes, p.ex. Isso é rudimento!

A todos: Pô, falar de Ouro agora?!?! Assim vcs acabam reforçando minhas análises contrárias. :D

The Engineer disse...

:)

Quando a CNN e a Bloomberg falaram para comprar ouro, daí é porque é hora de vender!

aguia disse...

vai a 2.400 doletas.

e quem viver,


morrerá...


rsrs.

Polycrav disse...

A situação de Buffet é um pouco diferente. Ela precisa falar todo final de ano aos acionistas e mostrar os resultados...

Investir em fundamentos para um prazo de 10, 15, 20 anos merece outra abordagem ou comparação.