quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Um Remédio para a Síndrome da Oportunidade Perdida

Embora seja um indicador que conte apenas um lado da história, o de quem perdeu o emprego, initial jobless claims (pedidos de seguro-desemprego) é um excelente indicador coincidente muito timely, pois é divulgado semanalmente. Sabendo empregá-lo, ele se revela muito útil.

Eu me lembro que em setembro de 2006, após ter completado uma correção iniciada em maio daquele ano provocada pela deterioração nas expectativas inflacionárias, o SPX começou a ensaiar uma reação que provou ser mais duradoura do que esperavam os mais otimistas.

O fato da yield curve ter se invertido (taxas de juros longas mais baixas do que as curtas), sempre um sinal de problemas no longo prazo, induziu a maioria dos participantes do mercado a desacreditar do incipiente movimento de alta, haja vista o pessimismo extremo entre os traders de opções. O detalhe desconhecido por muitos é que o lead time da yield curve é muito longo e sabendo disso, eu foquei nos indicadores mais curtos.

O humor entre os investidores em Pindorama também era no mínimo de desânimo e descrença (aqui não existe indicadores de sentimento confiáveis), porque o Ibovespa não estava conseguindo pegar no tranco, apesar de que o SPX já estava em segunda marcha por volta de setembro de 2006. O fato de estarmos no pior mês sazonal do ano também serviu como motivo para uma postura cautelosa.

O fato de que jobless claims ter registrado nas semanas de setembro valores próximos às mínimas foi de grande auxílio para quem quisesse montar uma posição jumbo na compra. Obviamente que um price action sólido logo no início do movimento de alta (fundo duplo formado por divergências técnicas positivas seguidas de um DCA) em um ambiente de pessimismo é o melhor alimento para um touro (bull markets climb the wall of worry). Porém, os dados dos jobless claims mostraram que a preocupação quanto a uma forte desaceleração era muito prematura e serviu para ratificar a longa duração do movimento.

Muita gente superestima a capacidade dos players de enxergarem muito longe e os menos experientes não fazem idéia da baixa qualidade técnica dos gestores de carteira. Até mesmo os livros textos afirmam que o lead time do mercado de ações é em média de 6 meses. Não é isso que indicam as minhas pesquisas, pois constatei que o lead time do SPX oscila entre 3 a 6 meses, no máximo.

Hoje foi divulgado o pior jobless claims semanal desde 29 de setembro de 2001, que por sua vez somente foi superado pelo de 25 de julho de 1992. Esse dado sofre pequenas revisões na semana seguinte, mas 516 mil pedidos é um número muito alto, mesmo sem ser um dado definitivo.


Fonte: Fed / Labor Department / KB

O gráfico trimestral acima mostra a taxa real de crescimento do Pib entre um trimestre e o mesmo no ano anterior, ilustrada pela curva branca até o 3° trimestre de 2008, e o gradiente trimestral da variação do initial jobless claims na cor vermelha, plotada até o 4° trimestre de 2008, obtida por regressão linear.

No último trimestre do ano eu usei a média desde o início de outubro dos jobless claims. A correlação linear entre as 2 variáveis, Pib e jobless claims, foi nos últimos 18 anos de -75%.

Penso que um Pib muito ruim no 4° trimestre não surpreenderá quase ninguém, mas o fato é que esse indicador do mercado de trabalho ainda não parou de descer a ladeira. Não será esse o indicador que fornecerá o timing preciso de uma entrada na compra, mas tem servido como aviso para que os investidores não se deixem ser tomados pela síndrome da oportunidade perdida, uma das doenças mais letais entre os investidores.

4 comentários:

J Augusto disse...

Resumindo: Vc quer dizer que ainda não chegamos no fundo do posso !! É isso? Já que não temos um indicador para verificar o momento da virada..quais seriam os melhores indicadores para o momento, ou, para entendermos graficamento o esta acontecendo e o que pode acontecer...? Obrigado.

KB disse...

J Augusto

Estamos tentando apenas achar os fundilhos que venha possibilitar uma pausa um pouco mais prolongada nesse bear market.

Término do bear market, e eu estou sendo sincero, somente quando 99% desistir de procurá-lo. A merda é grande demais, meu caro.

Indicadores para um bom fundo playable? O fundo é uma figura kafkaniana, em constante metamorfose. E é muito fácil provar cabalmente isso. Quer ver?

Suponhamos que haja um elenco de indicadores que identifica o fundo. Eu, você e mais uns trocentos caras estariam de olho neles e assim que uma luz verde acendesse todos mergulhariam na compra.

Como resultado, haveria uma explosão imobiliária na Ilha de Seichelles. Como nunca houve uma especulação nessa magnitude naquela ilha, está demonstrado a inexistência desse suposto leque de indicadores. C.Q.D.

E se existisse um sábio com a varinha mágica ele não iria lhe dizer. A troco de quê?

Portanto, eu sugiro sinceramente aceitar a incerteza como regra, ficar de antenas ligadas para ver se algo que se "mexe" se parece com um "fundo".

Goste ou não, essa é a técnica.

smarca disse...

Caro cumpádi, acho que não está correto em suas colocações, exceto em relação à primeira frase do seu último parágrafo (portanto antes da vírgula), que seria dizer mais ou menos como "a água é molhada", portanto redundante, pois a incerteza está sempre presente nos mercados de renda variável, independente de eu ou qualquer outro estar correto ou não, o que não faz a menor diferença, até porque o mercado tem memória curta e o que não está correto rapidamente deixa de ser enfatizado e passa ao esquecimento quase que imediato. E isso é psicologia inerente ao próprio ser humano, acredite-me.

Bem, em primeiro lugar, para respeitar um analista do mercado devem, à la KB, existir 2 premissas básicas:

1 Que eu saiba comprovadamente que ele realmente opera no mercado com seu próprio dinheiro;

e

2 Que recentemente tenha lido algo do tipo "eu errei" deste mesmo analista, o contrário de (óbvio mas não custa esclarecer) "não foi por falta de indicações minhas", "alertei para o fato de que ...", "comentei sobre ...", enfim qualquer expressão com o verbo no pretérito perfeito diferente de "eu errei".

Como até hoje, nos efêmeros 7 anos de vivência que possuo, exceto um único trader com quem tenho mais contato, nunca li nada de ninguém nestes moldes, apenas leio. Leitura dinâmica diria.

E nem poderia ser diferente pois não existem nem trocentos e nem milhões de pessoas iguais, nem ao menos semelhantes e muito menos que seguem os mesmos indicadores e, acima de tudo, que operam no mesmo tempo e com a mesma aversão ao risco. O ser humano é único e é a sua combinação média que dá o tom nos mercados de renda variável.

Se observou bem há duas questões bem simples elencadas em minhas observações onde as leu (e que serão retiradas em seguida):

1 Gerenciamento de risco

e

2 Estope técnico

Só isso já corrobora com a sua primeira frase do seu último parágrafo, mas não deve ter notado.

Fora isso devo dizer também sobre três características fundamentais minhas como trader: a simplicidade, a paciência adquiridas ao longo dos anos e a tranquilidade em executar ou estopes técnicos ou apenas sair do mercado (considero o termo estope técnico como assumir um pequeno prejuízo, o que é diferente de apenas sair do mercado) caso o comportamento esperado esteja diferente do esperado. E, importantíssimo, no meu tempo!

Finalizando, se souber de algum analista de mercado que saiba escrever "eu errei", por favor me avisem que gostaria muito de passar a le-lo, hahaha.

J Augusto disse...

Smarca, que resposta, heim !!! Só não entendi o motivo dela...muita coisa nas entrelinhas...