segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Eu Também Quero o Meu Bailout

Hoje eu vou sair um pouco do script e tocarei num tema que deverá criar uma tremenda celeuma, mas prometo que voltarei a ser o mesmo de antes, ou seja, depois dessa voltarei a falar somente sobre o mercado. É que não aguentei assistir a tanta sem vergonhice.

Se o que eu li retrata o bailout do Citbank (clique aqui), estamos diante de um novo estelionato eleitoral, agora nos States.

Timothy Geithner, o secretário do Tesouro do novo governo, aquele sujeito que articulou a compra, mal explicada até hoje, do Bear Stearns pelo J.P. Morgan, esteve também envolvido no resgate do Citi.

Robert Rubin que, juntamente com Greenspan, abortou todas as tentativas de endurecer a regulamentação para conter os desatinos dos banqueiros, foi conselheiro de Obama durante as eleições. E de quem mais? Ora, do Citigroup.

E o certinho Paul Krugman desceu a lenha na operação de resgate do Citi como se fosse uma operação do antigo governo. Um tremendo cara-de-pau.

O que me deixa estarrecido não é nada disso, pois já era esperado, fosse Obama ou o antigo oponente nas eleições. O que me deixa de boca aberta é a ingenuidade dos eleitores que, na era da informação, caem na conversa fiada da esperança.

8 comentários:

Seagull disse...

Política e economia sempre andam juntas. Muito além da política monetária... as finanças do Estado e o dinheiro do povo (quebrado!)

Não seria ingenuidade nossa pensar o contrário?

Se for mais um golpe, eles parecem estar respaldados e (todos) de acordo.

^v^

Seagull disse...

Ops... e anda falta o bailout das montadoras!

Querem um plano apresentável para liberar a $.

Aguardemos pelas cenas dos próximos capítulos...

Ou dá ou desce (quebram)!

Anônimo disse...

KB,

Tanto faz ter um governo democrata ou republicano, o que conta na hora da crise é o pragmatismo para fazer a coisa certa.

A base do sistema financeiro reside na confiança da população na moeda. Salvar os grandes Bancos e como manter o Papai Noel no imaginário das crianças. Não parece a coisa certa a fazer mas o sistema financeiro depende disso.

Eduardo disse...

Anonimo, desculpe cara, não dá pra concordar contigo !!

Garantir a confiança no sistema é uma coisa, mas garantir o sistema em si eu acho errado...

Senão fica fácil,,,

Privatiza o lucro e socializa o prejuízo...

Tá mais negócio dever 300 bilhoes do que 50, pelo menos nao vai pro SPC...

Bob disse...

Culpa é FHC.

Anônimo disse...

Eduardo,

Não é fácil não.

1 - A sociedade também lucra com o sistema financeiro. A sociedade perde mais deixando um banco quebrar do que perderia salvando o banco.

2 - Deixar o Citi com 2 Tri de ativos quebrar pode desencadear uma quebradeira tão grande que acabaria numa depressão global e provavelmente numa hiperinflação global. A quebra do LEH não seria nada comparado a quebra do Citi.

O que precisa deixar claro é a punição aos acionistas, os dirigentes e os financiadores quando as coisas dão errado.

Borderline disse...

A culpa é do Zé Dirceu.

Samuel Ramos disse...

Golpe virou sinônimo de "manter a confiança no sistema"?

Bizarro...