sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

JPMorgan: Novembro e Dezembro Terríveis

JPMorgan Chase CEO Jamie Dimon told CNBC that the banking giant has had a "terrible" November and December, …”. Tradução: Segundo o principal executivo do JPMorgan Chase o mês de novembro foi e o de dezembro tem sido terrível para o banco, ...”

O setor bancário registrou a sua melhor pontuação no final de fevereiro de 2007, uns 3 a 4 meses após os CDS (credit default swap ou seguro contra inadimplência) das carteiras do setor imobiliário subprime (hipotecas de alto risco) começarem a subir visivelmente. Decorridos 8 meses o SPX assinalou a sua melhor pontuação histórica em outubro daquele ano. No bear market iniciado em março de 2002, o setor bancário deu aviso 11 meses antes de sua morte.

Lição de casa: bull markets não se sustentam sem a participação do setor bancário. Como sempre, convém lembrar que não existe relação biunívoca no mercado, pois se houvesse todos estariam ricos.

Na reação iniciada no final de novembro, as ações do setor bancário, representadas pelo BKX, bem que tentaram, mas de maneira nada convincente. A única força que demonstraram no início do rali foi a violação das máximas de um DD (seta azul descendente) e em seguida de um DCB (seta vermelha descendente), o que em geral é suficiente para um pull back.


Fonte: Yahoo / KB (clique na imagem para ampliá-la)

No entanto, para uma reversão da uma longa tendência de baixa eu suspeito que será necessário que a reação comece com um DCA arrasa-quarteirão, possivelmente com um volume financeiro recorde em toda a sua história, obviamente que normalizado. Essa minha suspeita não é à toa, pois é muito comum esse padrão.

No pregão dessa quinta-feira o BKX, o representante mais acompanhado do setor, desarmou o que poderia ser um pivô de alta.

Embora a reversão do BKX seja uma condição necessária (mas não suficiente) para o início de uma reação mais prolongada, quer seja para uma boa pausa no bear market ou para o início de um bull market dentro do caixote de longo prazo, segundo o meu mosaico, os sinais de capitulação das pessoas físicas abundam.

O dado mais recente, relativo ao mês de outubro, sobre o fluxo financeiro nos fundos mútuos de ações nos EUA, que atualmente representam quase 30% do Pib (atingiram quase 50% em meados de 2007), revelou que no mês de outubro desse ano as vendas financeiras (normalizadas) líquidas (indicador de sentimento de médio prazo) bateu o recorde na presente década ao superar em 20% o recorde anterior que havia sido registrado em junho de 2002.


Fonte: ICI / KB (clique na imagem para ampliá-la)

Afora o fato do indicador ser representativo das pessoas físicas, alguém se arriscaria a explicar o motivo pelo qual o indicador de sentimento acima é mais consistente do que o da pesquisa feita pela Investor's Intelligence sobre a visão média dos editores de newsletters em relação às perspectivas do mercado acionário?

8 comentários:

Carlos Magno disse...

O indicador acima é um gráfico.
Parafraseando o Fact Finder: "Charts Nevers Lies".
A pesquisa é uma visão média de uns gatos pingados.
O chart é fluxo real e olhando nas vésperas de 2003, percebe-se que as vendas líquidas se intensificaram no final do bear market anterior (escrevo como constatação a posteriori e não para induzir que a repetição de grandes vendas líquidas no momento atual tenha relação com o término do bear em curso).

No Brasil, embora não acompanhe o fluxo normalizado e sim o corrente,
até o dia 9 as vendas líquidas de pessoas físicas estão negativas.

Anônimo disse...

KB,

Não costumo acompanhar o fluxo mas, pelo gráfico parece que existe uma alta correlação entre o fluxo e o nível de emprego, renda ou confiança do consumidor. Portanto o fluxo seria um "quasi leading indicator"

Quanto aos editores de newsletters, na melhor das hipóteses a visão média seria um "lagging indicator" porque a maioria do conteúdo de jornais, newsletters e blogs para chamar a atenção dos leitores está relacionado com as condições atuais de mercado. Faler de bull market durante bear market e vice versa não dá ibope.

aguia disse...

como o Carlos já colocou Magnifìcamente (15 pilas, rs) tudinho na marca do pênalti; o Anônimo idem; penso Q

... " ... a visão média dos editores de newsletters em relação às perspectivas do mercado acionário ... " ...

e, Merda de vaca, para mim é quase o mesmo se bem
muito diferente num aspecto; a de vaca, se aproveita.

aconselho leitura, só do blog do FACT; MAULDIN; WSJ;
CR; CNN (e os 3 últimos com a peneira e pinça à mão).







ah, sim, sim: já ia me esquecendo...de vez em quando
leio um tal de TiB; mas alí só se 'aproveita' um tal BOB.

kkk kkk

Vinicius disse...

KB,

O interessante é saber como vai se comportar o IBOV devido a essa relação da capitulação das pessoas físicas na mtriz já que o mesmo não acontece aqui em PINDORAMA.

Podemos acompanhar por inércia esse movimento altista dentro do caixote sem haver reais fundamentos para tal arranque por aqui.

Pode machucar bem os mais desavisados pela frente.

No mais, parabéns pelos posts, sempre bem claros e fundamentados.

[s]

aguia disse...

já dizia Confúcio:

MATRIZ é matriz;
e Filial é Quintal.
e quando suja LÁ
varrem pra onde?

não disse, devia.

Anônimo disse...

Vinícius,

"O interessante é saber como vai se comportar o IBOV devido a essa relação da capitulação das pessoas físicas na mtriz já que o mesmo não acontece aqui em PINDORAMA"

Estou mais interessado em saber quando a capitulação acontecer aqui em PINDORAMA. Vide post do KB sobre o "PMI Brasil Novembro".

http://tradinginblog.blogspot.com/2008/12/pmi-brasil-novembro.html

Psycho disse...

E vcs viram a historia da pirâmide -dinamitada - de US$ 15bi do Madoff hoje?
Muito me impressiona a capacidade de WS entrar em qqr merda!

aguia disse...

tá pregada ali no poste, amigo Psycho....

e não são todos absolutamente confiaveis?

credo, né?

[ ]ÃO