segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Investimentos Globais e o Petróleo

Paulo César Pereira é um leitor desse blog. Me enviou um material em que comparara a cotação do petróleo e os investimentos globais em relação ao Pib mundial, com dados desde a década de 80, portanto, uma base mais ampliada do que a que eu apresentei.

Segue o seu texto:

O Mundo investiu muito no início da década de 1980, (investimentos) irrigados pelos petrodólares. E acabamos tendo uma grande ressaca depois, confirmando sua tese.

Acredito que os investimentos tenham aumentado, agora, devido à alta do petróleo e à maior participação dos emergentes asiáticos no PIB mundial:


Fonte: FMI

Autor: Paulo César Pereira

2 comentários:

aguia disse...

Parabens Paulo:

saiba que temos uma verba especial (o blog é muiiito rico) para premiar leitores que colaborem aqui com coments que pela pertinência, como os seus, podem até virar postes, enriquecendo o blog (é prêmio, tipo demonstração de gratidão e vamos deixar bem claro que não se trata de remuneração).

só para lhe informar, sem entrar no mérito, pois o issue e o gráfico dispensam comentários e lhe avisar que nossa tezouraria já entregou a grana pro KB lhe repassar.

but, não respondeu minha pergunta da outra vez que apareceu: vc é parente dp Pereio?

( )

smarca disse...

Acredito que este assunto não possa ser analisado isoladamente do Pico de Hubbert (ou Pico Petrolífero).

Trata-se de um modelo matemático teórico mas as matrizes energéticas mundiais o levam em consideração.

E, em parcas palavras, independente do crescimento ou desaceleração da economia mundial, bem como independente das energias alternativas que surgirão economicamente viáveis, as cotações do petróleo refletirão significativamente também sua escassez num futuro não tão longínquo, algo como daqui a 40 ou 50 anos.

Aliás, a viabilidade econômica de energias alternativas provavelmente se acelerará proporcionalmente à escassez e elevação das cotações do petróleo.

Não fiz as contas para saber se é certo ou não uma afirmação que li tempos atrás: de que todo o petróleo do pre-sal brasileiro daria para alimentar os EUA, mantidos seus níveis de consumo atuais, por pouco mais de 90 dias. Tudo bem, ainda há provavelmente mais a se encontrar, aliás, onde se furar se encontrará petróleo, mas diante do que já foi encontrado no pre-sal, é um tanto assustador o consumo apenas dos EUA, mesmo sabendo-se que embora possuam 5% da população do planeta e consumam 25% de todo o petróleo extraído atualmente.

Seria mais ou menos como dizer que a sociedade norte-americana, e seu way of life, é um câncer planetário, hehehe, sugando a maior parte das energias da Terra.